Athletico Paranaense, a Sul-Americana traz um furacão de receitas e exposição

História feita: o Athletico Paranaense é campeão da CONMEBOL Sul-Americana. Uma conquista que beneficia (e muito) as receitas do clube, e não poderia ter vindo em melhor hora para sua marca. Vamos ver os porquês.

l

RECEITAS

A campanha campeã da Sul-Americana rendeu US$ 4,425 milhões em prêmios ao Athletico Paranaense (relembre as cotas fase a fase). E junto com o título, vieram as classificações para:

— a fase de grupos da Libertadores Bridgestone, que pagou US$ 1,8 milhões em 2018;
— a Recopa, que valeu de US$ 1,2 milhões (vice) a US$ 2,5 milhão (título) nesta temporada;
— e a Copa Suruga Bank, no Japão, com premiação de US$ 500 mil (vice) a US$ 700 mil.

Ou seja, quando Thiago Heleno cravou o pênalti decisivo contra o Junior de Barranquilla, consolidou, no pior dos cenários (eliminação na fase de grupos da Libertadores, e vices na Recopa e Suruga Bank), mais US$ 3,5 milhões em premiações para o Athetico Paranaense na próxima temporada. Ou seja, 79% do que faturou com o título da Sul-Americana.

l

EXPOSIÇÃO

Num dia, o Athletico Paranaense lança sua nova identidade. No outro, conquista a Sul-Americana — um título continental. Na próxima temporada, terá a chance de exibir sua marca nos mercados de elite da América do Sul (Libertadores e Recopa), com alcance ampliado pela transmissão via TV e plataformas digitais. E ainda atingirá o Japão, coração do mercado asiático, através da Copa Suruga Bank.

É o cenário dos sonhos, que permitirá ao Athletico Paranaense buscar novos patrocínios (fixos e/ou pontuais), aumentar sua oferta de produtos e licenciamentos, ativar e aumentar sua base de sócios, e promover ações de relacionamento e, principalmente, experiência de marca (da nova marca) com seus torcedores — em especial, aos mais resistentes à mudança de logo e nome do clube.

l

Se o Athletico Paranaense realmente quer mudar seu patamar no futebol brasileiro (onde, para nós, já é grande, e há um bom tempo) e internacional, o ano é 2019. Dinheiro haverá. Ambição já existe. Agora, é pôr o furacão para ventar mais forte.

l

Thiago Zanetin tem 33 anos e é redator publicitário. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na elite italiana.

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: Futebol MarketingMercado

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial