Boca x River: as rivalidades de marketing na superfinal da Libertadores 2018

Chegou a hora: amanhã (10), Boca Juniors e River Plate vão transformar seu Superclásico argentino na maior final de todos os tempos da CONMEBOL Libertadores Bridgestone. Os xeneizes jogam pela sétima taça — marca, por ora, exclusiva do Independiente — e os milionários vão pela quarta. E, como já é tradição no FutMKT, levantamos algumas rivalidades extracampo para esquentar o confronto. ¿A ver?

l

1. PREMIAÇÃO

Por terem começado suas campanhas na fase de grupos, Boca Juniors e River Plate chegam à decisão empatados em US$ 4,85 milhões (ou R$ 18,236 milhões, sendo US$ 1,00 = R$ 3,76). O desempate é o título, que pagará US$ 6 milhões (R$ 22,56 milhões), enquanto o vice ficará com US$ 3 milhões (R$ 11,28 milhões). E o campeão ainda conta com “ganhos futuros”, já que participará do Mundial Interclubes FIFA e da Recopa, além de ter vaga garantida na fase de grupos da próxima Libertadores.

l

2. VALORES DOS ELENCOS

Segundo o site Transfermarkt, o Boca Juniors começou a Libertadores avaliado em € 87,75 milhões (R$ 373,8 milhões, sendo € 1,00 = R$ 4,26) e, após a janela 2018-19, chegou a € 115,65 milhões (R$ 492,67 milhões) — o plantel mais caro do certame. Já o River Plate o elenco millonario teve uma ligeira queda de valorização: de € 75,15 milhões (R$ 320,1 milhões) para € 74,70 milhões (R$ 318,2 milhões). No confronto dos jogadores mais valiosos de cada clube, nova vantagem xeneize: € 20 milhões (R$ 85,2 milhões) para Cristiian Pavón contra os € 15 milhões (R$ 63,9 milhões) de Gonzalo Martínez.

l

3. SÓCIOS

O último balanço do Boca Juniors, divulgado em junho, apontou 98.420 sócios ativos e 78.697 adherentes (os que não têm direito a carnês de jogos), totalizando 177.117. Já sobre o River Plate, o dado mais atualizado que encontramos é de abril: 146 mi associados.

l

4. KIT DEAL

Renovado em 2015 e válido até 2021, o contrato do River Plate com a adidas vale US$ 60 milhões (R$ 225,6 milhões). A parceria entre Boca Juniors e Nike vem logo atrás, valendo US$ 56 milhões (R$ 210,56 milhões) entre 2012 e 2019. Nos dois casos, são vínculos históricos: a marca alemã desembarcou no Monumental de Nuñez em 1982, e a americana mora em La Bombonera desde 1998.

l

5. MÁSTER DE CAMISA

Desde o segundo semestre de 2018, o Boca Juniors possui o maior sponsor de pecho do futebl argentino: a Qatar Airways, que pagará US$ 6,075 milhões (R$ milhões) por temporada até 2022-23. O River Plate, atualmente, não possui máster de camisa — o último foi o banco BBVA Francés, que encerrou sua passagem por Nuñez (e também por La Bombonera) no primeiro semestre.

l

6. REDES SOCIAIS

No Facebook, o River Plate vence o Boca Juniors: 8,72 milhões contra 8,34 milhões de fãs. Já no Twitter e Instagram, os xeneizes derrotam os millos: respectivamente, 3,34 milhões contra 2,87 milhões e 2,8 milhões contra 2,1 milhões de seguidores.

l

7. PÚBLICO NO ESTÁDIO

Apenas na Libertadores, a média do River Plate até as semifinais foi de 58.243 espectadores por jogo — a maior do torneio — contra 48.624 do Boca Juniors — a segunda geral. Nas taxas de ocupação dos estádios, porém, o jogo vira: 99,2% para os xeneizes contra 83% dos millos — o que se explica pela diferença de capacidade dos dois estádios (na casa do River, “cabem” 21 pessoas a mais) e também pela diferença de lugares liberados (por motivos de segurança ou outros) jogo a jogo.

l

Thiago Zanetin tem 33 anos e é redator publicitário. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na elite italiana.

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: Futebol Marketing

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial