Champions x Europa League: divisão dos direitos de TV

Já conhecemos as premiações técnicas (participação e campanha) e pelo ranking histórico; agora, só nos falta entender como funciona a distribuição de receitas pelo market pool — o pool de mídia — da UEFA Champions League e Europa League.

“Mas vocês já falaram sobre isso.” É verdade. Só que, além dos valores, as regras mudaram neste triênio 2018-21. Vamos nessa?

Do começo: a cada temporada do triênio 2018-21, a UEFA Champions League e Europa League repartirão, respectivamente, € 1,95 bilhão e € 560 milhões em prêmios. Na UCL, o market pool responderá por 15% da distribuição (ou seja, € 292 milhões); e na UEL, por 30% (€ 168 milhões).

A regra geral do market pool é a seguinte: a partir das fases de grupos da UEFA Champions League e Europa League, os clubes de um mesmo país (isso é importante) recebem suas receitas de broadcasting de acordo com:

— os contratos de TV fechados para os seus países (quanto maiores, mais dinheiro a ser dividido);
— suas campanhas domésticas de classificação na temporada anterior (quem foi melhor ganha mais);
— e, dentro da UCL e UEL, conforme a concorrência a cada fase (quanto menos clubes na disputa, maiores as parcelas de quem avança).

Além disso, cada torneio tem as suas especificidades para distribuir receitas via market pool. Acompanhe:

l

CHAMPIONS LEAGUE

50% dos € 292 milhões disponíveis — € 146 milhões, portanto — serão distribuídos de acordo com as colocações finais dos clubes na temporada doméstica anterior, sob as seguintes bases:

quatro clubes de um mesmo país na disputa = 40% para o campeão doméstico (temporada anterior), 30% para o vice, 20% para o terceiro colocado e 10% para o quarto;
três clubes de um mesmo país na disputa = 45% para o campeão doméstico (temporada anterior), 35% para o vice e 20% para o terceiro colocado;
dois clubes de um mesmo país na disputa = 55% para o campeão doméstico e 45% para o vice;
país com apenas um clube na disputa = 100% para o campeão doméstico.

IMPORTANTE: destacamos novamente que essa repartição considera estritamente a temporada doméstica anterior. Isso significa, por exemplo, que o Atlético de Madrid, campeão da UEL e vice espanhol em 2017-18, começa com uma fatia maior do que o Real Madrid, que, embora defenda o título da UCL, foi “apenas” terceiro colocado na última LaLiga.

Já os demais € 146 milhões (a outra metade dos € 292 milhões) é distribuída de acordo com o número de jogos de cada equipe. E sempre que um clube de uma associação com mais de um representante for eliminado, em qualquer fase, 10% do market pool gera do país será destinado a esse clube.

l

EUROPA LEAGUE

50% dos € 168 milhões disponíveis — € 84 milhões, portanto — serão distribuídos de acordo com as colocações finais dos clubes na temporada doméstica anterior, sob as seguintes bases:

cinco clubes de um mesmo país na disputa = 30% para o campeão da copa nacional e 17,5% para os demais;
quatro clubes de um mesmo país na disputa = 40% para o campeão da copa nacional e 20% para os demais;
três clubes de um mesmo país na disputa = 40% para o campeão da copa nacional e 30% para os demais;
dois clubes de um mesmo país na disputa = 60% para o campeão da copa nacional e 40% para os demais;
país com apenas um clube na disputa = 100% para o campeão da copa nacional;

IMPORTANTE: se o campeão da copa nacional não chegar à fase de grupos da UEL, as cotas serão divididas igualmente entre os clubes do país que continuarem na disputa.

Já os demais € 84 milhões (a outra metade dos € 168 milhões) é distribuída por fase da competição, sendo repartida igualmente pelos clubes de um mesmo país que estejam na disputa:

— € 33,6 milhões (40%) na fase de grupos;
— € 16,8 milhões (20%) nos 16-avos de final;
— € 13,4 milhões (16%) nas oitavas;
— € 10,1 milhões (12%) nas quartas;
— € 6,7 milhões (8%) nas semifinais;
— e € 3,4 milhões (4%) na final.

l

Complexo? Sim, um pouco. Mas, é um sistema justo. Com essa divisão, os campeonatos nacionais são valorizados, premia-se meritocracia dentro dos torneios europeus e mantém-se a atratividade das competições (medida em receita) até para as praças menores.

l

Thiago Zanetin tem 33 anos e é redator publicitário. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na elite italiana.

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: Futebol MarketingMercado

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial