Efeito CR7: Juve e adidas renovam até 2027, por € 51 milhões/ano

Em 17 de setembro, FutMKT — repercutindo informação do jornal Financial Times — publicou o seguinte: “CR7 vende muito, e Juve já quer mais da adidas”. Querer foi poder. Pouco mais de meses depois, já deu negócio. E que negócio.

Na última sexta-feira (21), Juventus e adidas prolongaram seu acordo de patrocínio técnico. O contrato, que duraria até fim de 2020-21, agora vai até 2026-27. E os € 23,5 milhões anuais agora serão, já a partir de 2019-20, € 51 milhões. Mais: na atual temporada — e ainda em 2018 —, a Juve receberá uma complementação de € 15 milhões pela performance de vendas.

À parte esse complemento, a renovação com a adidas injetará, ao todo, € 408 milhões nos cofres da Juventus. Quase o quádruplo do investimento feito para contratar Cristiano Ronaldo — ou o dobro, se considerarmos os salários ao longo dos quatro anos que o gajo passará em Turim.

E esses € 408 milhões da renovação — acredite — representam “apenas” um valor mínimo garantido. A Juventus ainda terá muito a receber da adidas com os royalties sobre o volume de vendas dos materiais licenciados pela parceria (já explicamos como funciona aqui, com o case Ibrahimovic-Manchester United) e os bônus por metas esportivas (títulos e classificações para os torneios da UEFA).

Dá para ser melhor do que isso? Já é. A renovação com a adidas não contempla a gestão de merchandising e demais licenciamentos da Juventus, que cresce a cada ano (relembre) e continua 100% dentro do clube.

“Mas essa renovação, nesses termos, só aconteceu por causa de Cristiano Ronaldo?” “Só” não é bem o termo; a Juventus performa bem com a adidas desde o início. Mas podemos dizer que, atualmente, ele é, sim, o principal vetor desse negócio. Relembramos seus primeiros impactos nas vendas de camisas do clube:

520 mil camisas vendidas nos três primeiros dias após o anúncio da contratação;
— as vendas gerais de camisas da Juventus em agosto/2018 foram 145,5% maiores em relação a agosto/2017;
— alta de 245% em vendas de camisas infantis com o nome de CR7 em relação à sua última temporada no Real Madrid;
— em apenas dois meses, a Juventus ultrapassou o total de camisas vendidas em 2017-18.

Impactos de vendas que — como escrevemos aqui — geram ganhos de exposição quem assina (adidas) e para aparece na camisa da Juventus (a adidas e as demais patrocinadoras). Por isso, os próximos passos do clube devem ser: a renegociação do máster com a Jeep, hoje em torno de € 20 milhões anuais; e o crescimento dos aportes regionais.

Lembra que, quando comentamos o balanço deficitário da Juventus em 2017-18, dissemos que o nome da recuperação financeira era Cristiano Ronaldo? As vendas provam e a adidas comprova que tínhamos (como era fácil ter) razão. E é daí para mais. O negócio do século.

l

Thiago Zanetin tem 33 anos e é redator publicitário. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na elite italiana.

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: CamisasFutebol MarketingMercado

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial