Football Leaks: UEFA ajudou PSG e Manchester City a driblar o Fair Play Financeiro

Ao mesmo tempo em que expôs os (não mais) secretos planos para a criação de uma Superliga Europeia, o site Football Leaks acusou dois de seus principais articuladores, PSG e Manchester City, de driblar o Fair Play Financeiro da UEFA, com ajuda da própria entidade. Mais especificamente, por ação de Gianni Infantino, então secretário-geral da entidade, e atual presidente da FIFA.

Antes de tudo, vamos recuperar o conceito. O Fair Play Financeiro passou a valer na temporada 2013-14, impondo, entre outros, os seguintes critérios:

— déficit máximo de € 45 milhões somando as duas temporadas anteriores;
— déficit máximo de € 30 milhões ao longo das três temporadas seguintes;
— teto de € 10 milhões a € 15 milhões de investimento estrangeiro;
— controle sobre supervalorização dos contratos de patrocínio assinados junto à empresa proprietária do clube.

A “ajuda” dada pela UEFA a PSG e Manchester City teriam acontecido entre 2014 e 2015, envolvendo principalmente os dois últimos itens.

Segundo a revista alemã Der Spiegel — que teve acesso, via Football Leaks, à investigação feita pela sua proprietária, European Investigative Collaborations-EIC —, Gianni Infantino se encontrou secretamente com o alto clero dos clubes, recebendo, e aceitando — com anuência do então presidente da UEFA, Michel Platini —, pressões de Abu Dhabi (Manchester City) e do Qatar (PSG) para encobrir as seguintes situações:

supervalorização de € 212 milhões no contrato de patrocínio da Qatar Tourism Authority ao PSG;
— e supervalorização de € 23 milhões no contrato de patrocínio da Emirates ao Manchester City, contornando o déficit de € 233 milhões.

Sem essa “colaboração extraoficial” — sempre segundo o Der Spiegel (via Football Leaks) —, PSG e Manchester City poderiam ter sido suspensos das competições europeias. Em vez disso, tiveram suas multas iniciais de € 60 milhões reduzidas para € 20 milhões e enfrentaram embargos no mercado de transferências

Gianni infantino (via FIFA), PSG e Manchester City já estão se defendendo das acusações. À parte isso, não se pode negar que a máquina da UEFA funcione em favor dos grandões e/ou endinheirados. Só neste ano, a entidade, com base no Fair Play Financeiro, baniu o Panathinaikos, da Grécia, e o Rubin Kazan, da Rússia, das suas competições, ao mesmo tempo em que aceitou um Milan vermelhíssimo na UEFA Europa League e, após nova investigação, decidiu não punir o PSG.

l

Thiago Zanetin tem 33 anos e é redator publicitário. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na elite italiana.

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: Futebol Marketing

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial