Hellas Verona x SPAL: um jogo de rabeira que pode valer até € 40 milhões

Com cinco jogos para o final, a zona de rebaixamento da Serie A TIM está ocupada pelos três clubes que subiram da Serie B em 2016-17. O Benevento, lanterna, já carimbou o passaporte de volta. O Hellas Verona, penúltimo e a seis pontos de sair do sufoco, está quase lá. A última, e remota, esperança gialloblù passa por uma vitória contra a SPAL, antepenúltima — e quatro pontos acima —, neste domingo (29). Um jogo que, se não adiantar a vida do Verona na elite, pode valer muito para a próxima Segundona. Mais especificamente, pode valer € 40 milhões.

Vamos explicar.

Os três rebaixados da Serie A TIM dividem entre si um paracadute (“fundo-paraquedas”) de € 60 milhões, distribuídos ao longo de até duas temporadas após a queda. E sua divisão prevê mais dinheiro para os clubes que tenham disputado a elite em pelo menos três dos últimos quatro anos. Ao contrário da SPAL — que voltou ao convívio dos grandes após 55 anos — e do já rebaixado Benevento, que faz sua temporada de estreia, o Hellas Verona cumpre esse requisito. Se os três clubes caírem juntos, os gialloblù receberiam € 25 milhões contra os “apenas” € 10 milhões destinados a cada um de seus companheiros. Mais: o histórico recente de temporadas na Serie A garantiria ao Hellas Verona, e só ao Hellas Verona, um cheque de € 15 milhões em caso de permanência na Serie B para 2019-20.

Se a SPAL se salvar e o Hellas cair junto com o Crotone, que está em seu segundo ano de Serie A TIM nos últimos quatro —, os € 25 milhões se mantêm, mas o “prêmio” pela eventual Serie B 2019-20 cairia para € 10 milhões. Já se o companheiro de degola dos gialloblù for qualquer outro concorrente — Cagliari (três anos de A); e Chievo ou Udinese (mais do que quatro) —, o “bônus B” se anula, pois o terceiro rebaixado também receberia € 25 milhões, esgotando o paracadute já em 2018-19. Ou seja, se salvando ou não, o foco do Verona é complicar a vida da SPAL.



O curioso é que o Hellas Verona já esteve numa “encruzilhada financeira” quase igual. Foi na temporada 2015-16, quando o clube, já rebaixado junto com o Frosinone, visitou o Palermo, que precisava de uma vitória para se salvar — e, consequentemente, rebaixar o Carpi. No final das contas, o 3×2 para o time rosanero (placar esportivo, sem qualquer combinação) garantiram que o Hellas Verona garantisse uma fatia do paracadute bem maior do que a de seus concorrentes, então debutantes na elite.

Claro, melhor do que fazer contas sobre um possível rebaixamento é lutar para se salvar. Em particular porque, com o novo acorde de TV que está se desenhando, a Serie A TIM 2018-19 pode valer, de cara, € 40 milhões (de uma só vez) para o Hellas Verona. Todavia, a péssima campanha dessa temporada (sete vitórias, quatro empates e 23 derrotas em 34 jogos) obrigam o clube gialloblù a se preparar, de novo, para o pior. E a tirar o melhor proveito dele.

l

Thiago Zanetin tem 32 anos e é redator publicitário na Concêntrica Comunicação e Conteúdo. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na Europa.

l

Post atualizado em 15/05/18, às 15h03

l

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: Futebol Marketing

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial