Libertadores e Sul-Americana em final única: prós e contras

É fato: a partir de 2019 (e, no mínimo, até 2022), a CONMEBOL Libertadores Bridgestone e a CONMEBOL Sul-Americana passarão a ser decididas em finais de jogo único, em sedes neutras previamente selecionadas — como já acontece há décadas nos torneios da UEFA. As primeiras experiências acontecerão, respectivamente, em Santiago, no Chile; e Lima, no Peru. Boa ou má ideia? Abaixo, listamos alguns prós e contras.

l

PRÓS:

— como evento à parte no calendário esportivo da América do Sul, a final única é mais comercializável, seja para patrocínios específicos/pontuais, seja para direitos de transmissão avulsos mundo afora;

— para os finalistas não-locais (ou seja, que não sejam da mesma cidade ou país em que ocorrerá a partida), a sede neutra é uma oportunidade de internacionalização;

— como as sedes serão definidas com antecedência, os clubes podem planejar ações específicas (inclusive envolvendo torcedores) com grande antecedência;

— as decisões beneficiarão, e muito, a economia da cidades-sedes selecionadas, seja em turismo e serviços correlatos (como hotelaria, alimentação, comércio etc.), seja pela geração de empregos (temporários e/ou indiretos) para a organização;

— a final única pode ser estratégica para fomentar a cultura e o desenvolvimento do futebol em cidades de menor expressão boleira a nível continental (por exemplo, Natal, no Rio Grande do Norte, que não frequenta a nossa Série A desde 2007, mas “herdou” a Arena das Dunas da Copa do Mundo FIFA 2014).

l

CONTRAS:

— do simples deslocamento (passagens aéreas e transporte local) ao preço dos ingressos, a final única tende a ser mais cara para o torcedor dito “comum”;

— com apenas um jogo, os clubes finalistas podem faturar menos com bilheteria do que quando recebiam as finais cada um em seus estádios;

— a perda dos fatores locais traz um inevitável déficit de identidade e cultura boleira (exceto, claro, para eventuais finalistas que mandem seus jogos na cidade-sede escolhida para a decisão);

l

E você, como vê as decisões da CONMEBOL Libertadores Bridgestone e CONMEBOL Sul-Americana em jogo único e sede neutra? Há algum ponto importante que não abordamos ou com o qual você não concorda? Deixe seu comentário.

l

Thiago Zanetin tem 32 anos e é redator publicitário. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na elite italiana.

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: Futebol MarketingMercado

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial