Messi no Manchester City: a proposta que QUASE foi aceita

Desde que Ferrán Soriano, ex-vice-presidente e diretor geral do Barcelona, e Pep Guardiola, o técnico que “reinventou” o futebol culé, desembarcaram no Etihad Stadium, o sonho do Manchester City de levar Lionel Messi à Inglaterra ganhou força.

E, em 2017, quase aconteceu.

Quem nos conta esse bastidor entre Manchester City e Barcelona por Messi é o jornal espanhol El Mundo.

Em meio à agitação do último referendo popular pela independência da Catalunha, que, se aprovada e colocada em prática, poderia desfiliar o Barcelona da LaLiga (e da UEFA Champions League), o Manchester City partiu para o ataque: sob supervisão de Soriano e Guardiola, o clube, além de garantir os (à época) € 250 milhões da multa rescisória, ofereceu a Messi € 250 milhões limpos por cinco temporadas, e outros € 50 milhões à empresa da sua família.

Se considerarmos impostos e taxas diversas, o Manchester City desembolsaria, na prática, algo em torno de € 750 milhões para tirar Messi do Barcelona. (Mal comparando, a KPGM estima que Cristiano Ronaldo causará um impacto de € 378,88 nos balanços da Juventus ao longo de seus quatro anos em Turim.)

Oferta irrecusável? Pois Messi recusou.

A neutralidade institucional do Barcelona na questão da independência catalã — assegurando suas posições na LaLiga e, consequentemente, nos torneios da UEFA — foi decisiva para que La Pulga continuasse no Camp Nou. E, claro, a renovação de contrato até 2021, ainda que por “apenas” € 35 milhões limpos ao ano (a proposta do City oferecia € 50 milhões por temporada) — e sob rescisão de € 700 milhões —, ajudou na decisão.

Mesmo assim, o novo contrato prevê um risco: se a Catalunha alcançar a independência, e, em consequência disso, o Barcelona foi desfiliado da LaLiga e inelegível para os torneios da UEFA, Messi ficará automaticamente livre. Motivo mais do que suficiente para que o Manchester City engrosse o coro por uma Catalunya lliure i sobirana.

l

Thiago Zanetin tem 33 anos e é redator publicitário. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na elite italiana.

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: Futebol MarketingMercado

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial