Petraglia, quem decide se o Atlético-PR deve mudar suas cores é o torcedor

Aspas para Mario Celso Petraglia, atual presidente do Conselho Deliberativo do Atlético Paranaense, em entrevista ontem (7) à rádio Transamérica de Curitiba:

”— Tem vários torcedores, aqui… vou simbolizar todos eles numa pergunta. Perguntam em relação à identidade visual do Atlético e uniformes. O Atlético tem…
”— Tá no prelo. Tá quase pronto. Mais uns dias e a gente vai lançar. Muda tudo.
“— É, era isso que eu ia perguntar…
”— Muda tudo. Nós queremos uma identidade própria. Não queremos mais ser sombra, nem imitação, nem olhar de outra instituição. Nós precisamos ter a identidade própria do clube.
“— Só não muda a cor, né, presidente?
”— Muda a cor. Muda tudo.
“— O Atlético não vai mais ser rubro-negro?
”— Não, o Atlético vai ser rubro-negro, branco-e-preto, vermelho e azul… por quê? Onde é que está escrito que a gente tem que preservar eternamente as cores?

Aspas, agora, para o Estatuto do Atlético Paranaense (Título II — Símbolos, Distintivo e Uniformes):

”Parágrafo 1º — A bandeira, nas cores vermelha e preta
(…)
“Parágrafo 2º — O distintivo é constituído por um círculo, com sete listras verticais, sendo quatro linhas vermelhas e três listras negras em cores alternadas
(…)
“Parágrafo 3º — Para a identificação do Clube nas competições esportivas, no uniforme dos atletas deverão constar, necessariamente, as cores vermelho e preto. Em caráter excepcional, e para fins comerciais ou mercadológicos, o uniforme poderá conter outras cores em substituição às cores tradicionais.”
(…)
“Parágrafo 6º — O clube adota como sua legenda oficial: “A CAMISA RUBRO-NEGRA SÓ SE VESTE POR AMOR”.

Mario Celso Petraglia tem razão: na letra fria, no papel, não se lê em nenhum lugar a expressão “preservar eternamente” relacionada às cores no estatuto do Atlético Paranaense.

Ele “só” não tem razão em aventar (ou executar, já que, em suas palavras, a nova identidade do clube “tá no prelo, quase pronta para lançar”) uma mudança como essa sem consultar a torcida — que, lembramos, é quem vai praticar e defender essa identidade, além de consumir tudo o que se relaciona a ela.

Esperamos que o torcedor do Atlético Paranaense tenha voz na decisão sobre a nova identidade do clube. Inclusive para vetá-la (como se fez, recentemente, em Leeds e Barcelona).

Chega decisões da cartolagem à revelia (e ao arrepio) da arquibancada.

l

Thiago Zanetin tem 33 anos e é redator publicitário. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na elite italiana.

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: Futebol Marketing

Tags:

2 comments

  1. Obrigado pela manifestação. O que esse velho louco fala e deseja fazer é acabar com o Atlético, que é uma centenária instituição e patrimônio dos paranaenses e do futebol brasileiro.

  2. Obrigado pelo seu comentário =) Veja, não temos nada contra mudanças; o problema são imposições. Se for esse o caso, somos contra, por entender que o torcedor deve ser protagonista e, como você disse, o clube é patrimônio do nosso futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial