Remo vestirá marca própria em 2019?

O Cube do Remo deve ser o próximo a embarcar na tendência das marcas esportivas próprias — que foi relançada pelo seu arquirrival, Paysandu. A informação, confirmada pelo dirigente azulino Rafael Dahás, circulou em diversos veículos ao longo da semana.

O Clube do Remo, como sabemos, tem vínculo com a Topper até o final de 2019. Em 2018, o retorno é bom: até 20% de royalties sobre, segundo a diretoria remista, mais de 70 mil camisas vendidas — a melhor performance entre todos os clubes da marca na temporada até agora.

Com marca esportiva própria, eliminando intermediários, o Clube do Remo teria ficado com 100% do valor das vendas. Daí, basicamente, a ideia investir — ou, pelo menos, considerar — esse projeto.

Se der negócio — que passa, claro, pela rescisão com a Topper —, o Clube do Remo fará companhia a vários clubes que também apostam em suas marcas esportivas próprias, como Juventude (19TREZE), Joinville (OCTO), Fortaleza (LEÃO 1918), CSA (Azulão), Sampaio Corrêa (Tubarão), Coritiba (1909), Santa Cruz (Cobra Coral) e Bahia (Esquadrão) — além, claro, do já citado arquirrival Paysandu (LOBO).

l

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: CamisasFutebol MarketingMercado

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial