São Paulo + adidas segue tendência: mais royalties, menos verba fixa

Uniformes apresentados e estreia marcada para esta quarta-feira (18), pelo Brasileirão. Quase 20 anos depois, a tabelinha entre São Paulo e adidas voltou. E voltou reconfirmando a tendência de que os contratos multimilionários do pré-Copa 2014 — como aquele que o próprio tricolor desfez recentemente junto à Under Armour — estão, definitivamente, no passado.

Com a adidas, o São Paulo terá garantias como um fee mínimo (não se sabe de quanto), repasse de peças e bônus por objetivos alcançados; mas a quase totalidade do faturamento virá através de roaylties, que começam em 26% sobre uma projeção anual de R$ 15 milhões em vendas, e podem chegar a até 30% caso o volume vendido ultrapasse R$ 25 milhões numa mesma temporada.

Ou seja, para ganhar dinheiro, o São Paulo precisará vender (e bem) os produtos da sua parceria com a adidas — assim como Fluminense (e, em breve) Sport com a já citada Under Armour, e Vasco da Gama com a Diadora, entre outros casos mais ou menos famosos.

Duas providências já foram tomadas para que a parceria São Paulo-adidas possa ser um sucesso de vendas. A primeira está garantida por contrato: a reabertura da loja-conceito no estádio do Morumbi, com total operação da marca das três listras. A segunda contou com a participação do Banco Inter, máster de camisa tricolor, que concordou em aplicar sua marca mais abaixo no manto titular para deixar o manto titular mais ao gosto da torcida, com as faixas vermelha, branca e preta à altura do peito.

E, na pista do que fez o Banco Inter, há espaço para que se tome uma terceira providência — a principal: envolver o torcedor (que, afinal, é quem vai comprar e garantir os ganhos via royalties) nos processos de criação e ou escolha dos próximos uniformes e de quaisquer outras peças que venham a ser lançadas pela parceria São Paulo-adidas.

Depender de royalties sobre vendas é depender da torcida. Se jogar junto com as arquibancadas, o São Paulo pode marcar vários golaços até dezembro de 2023, quando encerrará sua parceria com a adidas. Conseguirá? Estamos de olho.

l

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: CamisasFutebol MarketingMercado

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial